Ir para o conteúdo
  1. Home/
  2. Blog/
  3. Por que a Linha 3 é um retrocesso para nossos objetivos climáticos
Um pipeline

Por que a Linha 3 é um retrocesso para nossos objetivos climáticos

ilustrações de folha
a expansão do oleoduto da Linha 3 que vai de Alberta, Canadá, passando por Minnesota e Wisconsin, EUA vai contra tudo em que a Sétima Geração acredita.

Como uma empresa cujo próprio nome representa nosso compromisso contínuo de deixar o planeta em melhor forma do que o encontramos, a expansão do oleoduto da Linha 3 que vai de Alberta, Canadá, passando por Minnesota e Wisconsin, EUA vai contra tudo em que a Sétima Geração acredita para transformar o mundo em um lugar saudável, sustentável e justo para as próximas sete gerações. 

É por isso que nos envolvemos e apoiamos ativamente o movimento dizendo ao presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, para impedir que a Linha 3 continue em operação. 

Se quisermos cumprir as metas do Acordo de Paris, precisamos garantir que os líderes mundiais mantenham os combustíveis fósseis no solo. A Linha 3 é um desastre para nossos objetivos climáticos - aqui está o porquê: 

O que é a Linha 3? 

A Linha 3 é uma expansão de US$ 7,5 bilhões para trazer quase um milhão de barris de óleo de areias betuminosas todos os dias de Alberta, Canadá, para Superior, Washington, EUA. Embora o petróleo já faça essa jornada longa e perigosa todos os dias, a Linha 3 existente é velha, está corroída e tem vazamentos [1]. A expansão não apenas faria com que a linha existente no local apodrecesse lentamente no precioso solo de Minnesota, EUA, mas também quase dobraria a capacidade da linha. A Linha 3 é uma catástrofe ambiental e de direitos humanos que será sentida hoje, amanhã e nas próximas gerações.   

O que é óleo de areias betuminosas? 

As areias betuminosas são uma mistura sólida de argila, areia, água e betume (basicamente óleo sólido). Uma vez que as areias betuminosas normalmente são encontradas no subsolo, elas devem primeiro ser aquecidas a vapor antes de serem bombeadas para a superfície, onde são refinadas e, em seguida, canalizadas por grandes distâncias. Esse processo é um verdadeiro pesadelo para nosso clima. Na verdade, a produção de areias betuminosas "libera três vezes mais poluição de gases de efeito estufa do que o petróleo bruto convencional", [2] prejudicando ecossistemas frágeis e colocando em risco o abastecimento de água e as comunidades.  

O que há de tão ruim na Linha 3? 

Vamos explicar: 

  • Ela torna mais difícil DESINVESTIR em combustíveis fósseis. As gerações atuais e futuras dependem de nós para manter o aquecimento global abaixo de 1,5 graus [3]. A única maneira de conseguir isso é mantendo os combustíveis fósseis no solo. A Linha 3 faz exatamente o oposto. 

  • Ela é cara. O estado de Minnesota, EUA, calculou o “custo social do carbono”* para uma nova Linha 3 em US$ 287 bilhões nos primeiros 30 anos [4]. 

  • Ela é ruim para o AR. A construção da Linha 3 seria aproximadamente equivalente à construção de 50 novas usinas termelétricas a carvão [5]. 

  • Ela é ruim para a ÁGUA. A rota proposta da nova Linha 3 passa por mais de 200 corpos de água, 75 milhas de pântanos e aquíferos rasos. 

  • Ela é ruim para o CAMPOS DE PLANTIO. A Linha 3 passa por Minnesota, os solos mais delicados dos EUA e algumas das maiores áreas de cultivo de arroz selvagem do mundo. 

  • É certo que haverão VAZAMENTOS. A maioria dos dutos vaza eventualmente. De acordo com o estudo do Departamento de Transporte dos EUA [6], há 57% de chance de um grande derramamento em algum momento nos próximos dez anos.

  • Ela VIOLA tratados. As nações tribais e povos indígenas no caminho da Linha 3 disseram NÃO ao projeto, o que significa que sua construção viola tratados sagrados que datam de mais de 150 anos e atropelam a soberania tribal.  

O que tem sido feito para tentar impedir a Linha 3? 

As comunidades indígenas e seus aliados na linha de frente se manifestaram. Suas vozes ecoaram por todo o país, inspirando empresas, autoridades eleitas e cidadãos comuns a prestar atenção e agir. Comunidades indígenas que vivem e trabalham no trajeto do gasoduto levaram o projeto à Justiça e lideraram protestos no local. Infelizmente, essas corajosas ações não foram suficientes para impedir a conclusão da Linha 3.   

O que os líderes mundiais podem fazer para manter os combustíveis fósseis no solo?   

196 países assinaram o histórico Acordo de Paris que buscava limitar o aquecimento global a 1,5 graus Celsiuis. Esse objetivo só poderá ser alcançado se as políticas nacionais espelharem a ambição estabelecida no Acordo de Paris, e isso significa que precisamos de políticas nacionais que mantenham os combustíveis fósseis no solo. O presidente Biden dos EUA tem o poder de parar a Linha 3 por meio de ação executiva, mas ainda não vimos isso acontecer. 

Esta não é apenas uma questão dos EUA. Na Alemanha, comunidades inteiras estão sendo destruídas para abrir caminho para novas minas de carvão e, no Reino Unido, uma nova mina de carvão está sendo projetada, apesar do fato de o próprio comitê de mudança climática do governo do país afirmar que isso prejudicará a capacidade do Reino Unido de cumprir as obrigações do Acordo de Paris. [outro exemplo global a ser confirmado]. Precisamos desesperadamente da implementação de políticas que se alinhem com nossa visão de não aquecer o Planeta em mais do que 1,5 grau, e os líderes mundiais estão em posição de poder para fazer isso.  

O que você pode fazer? 

Convidamos você a se posicionar junto a nós e todos aqueles que estão resistindo à Linha 3 - especialmente as comunidades vulneráveis mais diretamente afetadas. Elas estão contando conosco. Aqui está uma lista de organizações inspiradoras que lutam todos os dias para manter os combustíveis fósseis no solo. Certifique-se de apoiá-las. 

Referências

[1] https://www.mprnews.org/story/2021/03/03/30-years-ago-grand-rapids-oil-spill  

[2] https://www.biologicaldiversity.org/campaigns/no_tar_sands/index.html  

[3] https://climate.nasa.gov/news/2865/a-degree-of-concern-why-global-temperatures-matter/  

[4] https://www.edockets.state.mn.us/EFiling/edockets/searchDocuments.do?method=showPoup&documentId=%7B806A765E-0000-C118-86D6-0C8B470CCF0D%7D&documentTitle=20179-135432-01  

[5] https://www.mepartnership.org/line3/  

[6] https://www.phmsa.dot.gov/sites/phmsa.dot.gov/files/docs/technical-resources/pipeline/16691/leak-detection-study.pdf  

[7]https://www.stopline3.org/news/600morearrests-theguardian  

* O custo de remediação do carbono lançado na atmosfera.